Salvador | Bahia | Brasil

A Economia de Salvador

A Salvador possui uma população estimada em mais de 2,6 milhões de habitantes. É considerada a cidade mais populosa da região Nordeste e a terceira maior capital do país. A economia de Salvador é movida nos dias atuais principalmente pelo setor do Turismo. A cidade é um dos mais importantes destinos turísticos do Brasil e recebe anualmente milhões de turistas de outras capitais e cidades do país e também de diversas partes do mundo. O Aeroporto Internacional de Salvador, Luis Eduardo Magalhães, é considerado o maior da região Norte-Nordeste e Sul e ainda ocupa o 5° lugar em relação ao movimento de passageiros no Brasil. O turismo em Salvador movimenta números impressionantes e além das belas praias e regiões turísticas espalhadas por todo o estado, um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento turístico e econômico de Salvador é o Carnaval. Conforme dados da Empresa de Turismo da Bahia (Bahiatursa) a festa do Carnaval em Salvador movimenta em torno de R$ 600 milhões na cidade.
Mas antes de toda esta explosão turística acontecer em Salvador a economia da cidade era movida pela exportação de produtos como o açúcar (no período colonial) e mais tarde o cacau. Salvador foi colonizada por povos europeus, índios e negros. No início de sua colonização, a cidade tinha como base da economia o comércio produzido nos engenhos. A partir do final do século 19 a economia baiana ganhou um novo panorama. A produção do cacau passou a ser a “vedete” da economia na Bahia e 20% do orçamento do estado era devido a produção do cacau. Devido a este crescimento da produção e também exportação do cacau surgiu diversas iniciativas de industrialização. No ano de 1904 havia cerca de 141 fábricas e manufaturas, sendo que destas,  12  estavam ligadas a fiação e tecelagem, 12 eram fábricas de charutos, quatro de cerveja e três eram fábricas de calçados. Durante os anos 60 a economia baiana teve uma aceleração pela criação do centro industrial de Aratu e com a promoção da agricultura na bacia do São Francisco.
Nos anos seguintes a economia cresceu devido às várias iniciativas políticas e incentivos implantados no estado como o pólo petroquímico de Camaçari, que foi instalado em 1978. Já neste mesmo período, o Turismo começou a despontar e a tornar-se uma das principais bases da economia baiana. Já por outro lado, um dos mais importantes produtos exportados do estado, o cacau, começou a sofrer uma forte crise desencadeada pela “vassoura-de-bruxa”, uma praga que atinge as plantações de cacau. A crise da ““vassoura-de-bruxa”, fez com que a produção de cacau caísse enormemente e desencadeasse uma forte crise econômica e de desemprego nas regiões baianas que produziam o cacau.

Mas graças à força de vontade e criatividade dos baianos, a crise do cacau foi superada e Salvador e as demais cidades baianas tiveram suas economias fortalecidas através de outros setores. Salvador é hoje sede de grandes empresas tanto a nível nacional como internacional e é a cidade mais desenvolvida economicamente na Bahia devido à forte produção comercial e industrial.  Além das indústrias e empresas que geram milhões de emprego, Salvador sedia anualmente vários eventos esportivos, turísticos, dentre outros.